Close

Merenda escolar da rede municipal vence concurso do Ministério da Educação

Belém conquistou os três primeiros lugares do concurso regional de merenda escolar, promovido pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento (FNDE). A seleção faz parte da 2ª edição do concurso “Melhores Receitas da Alimentação Escolar”, que recebeu mais de 1.200 receitas de todo o país. O resultado foi divulgado nesta terça-feira, 26, no Diário Oficial da União.

“Macarronada paraense”, “Sabores da ilha” e “Pai D’égua esse Nemo com pupunha e tucupi” estão entre as 15 receitas finalistas desta etapa, e concorrem à etapa nacional, em Brasília (DF), no período de 23 a 25 de outubro, durante o qual as finalistas participarão de um curso de boas práticas e elaboração de receitas e deverão preparar seus pratos.

O concurso foi criado para valorizar o papel dos merendeiros, além de promover a formação de hábitos alimentares saudáveis e adequados no ambiente escolar. Para esta seleção foram escolhidas receitas mais caprichadas de cada região, e que continham na preparação práticas saudáveis e ingredientes saborosos.

Belém teve dez receitas inscritas, e da região Norte foram 123. Para o presidente da Fundação Municipal de Assistência ao Estudante (Fmae), Walmir Moraes, a premiação vem justificar o título dado a Belém de Cidade Criativa da Gastronomia, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

“A seleção das três merendas de Belém reforça aquilo que as crianças recebem com noções não só na parte pedagógica, mas também de alimentação saudável. E noções de gastronomia essas merendeiras recebem dentro do projeto ‘Educando com a horta escolar’, e a alimentação saudável é o que a gente busca todos os dias para essas crianças. Então, isso mostra que a gestão municipal está no caminho certo”, afirma Walmir.

Avaliação – A competição vai selecionar as cinco melhores receitas servidas nas escolas públicas de educação básica de todo o país, uma para cada região. As premiações variam entre prêmios em dinheiro e passagens aéreas.

A merendeira Maria Cláudia Ferreira, 46 anos, da Escola Municipal José Alves Cunha, do bairro do Tapanã, está entre as finalistas com o prato “Macarronada paraense”. Segundo ela, o principal ingrediente da receita, além dos produtos regionais, foi o amor. “Eu estou muito feliz por representar a minha escola e ter tido a participação das crianças nesse processo. Isso já é motivo de muita alegria”, declara Maria Cláudia, que usou na sua receita produtos como o macarrão, o tucupi, o frango e o jambu. “Às vezes as pessoas não dão o devido valor aos produtos regionais, e eu quis manter isso como os principais ingredientes, que é aquilo que aplicamos na alimentação desses alunos”.

Rosiete Quaresma, 45 anos, se dedica há 18 anos à merenda das crianças da rede municipal na ilha do Combu. Filha da ilha, como se intitula, Rosiete afirma que o prato “Sabores da ilha” foi especialmente criado à base dos produtos que eles utilizam na escola, principalmente as verduras. “A gente tem a horta escolar e ela foi um grande incentivo pra gente elaborar coisas diferenciadas. As crianças mesmo plantam e colhem e a gente vai criando os pratos. Costumo aproveitar tudo aquilo que a gente planta e a escolha do prato foi pelo fato da ilha já ter o peixe, e com a horta nós adicionamos o jambu, a chicória, a macaxeira, que são todos ingredientes do meu prato”.

O concurso do FNDE surgiu com esse viés, de levar para a merenda escolar hábitos saudáveis, mas quando os preparos contam com uma ajuda especial dos alunos, como no caso do projeto criativo e inovador da Prefeitura de Belém “Educando com a horta escolar e a gastronomia”, os ganhos são ainda maiores: a qualidade de vida de cerca de 10.500 alunos da rede municipal melhora, pois há o incentivo a crianças e adolescentes à aprendizagem diária sobre educação alimentar, ambiental e valores como organização, responsabilidade e paciência.

A professora Joselene do Socorro Freitas, 30, da Escola Lais Fontoura Aderne, do Pacaruri, conta que a paixão pela culinária não permitiu que ela ficasse apenas como orientadora de merenda. A criadora do prato “Pai D’égua esse Nemo com pupunha e tucupi” disse que precisava “meter a mão na massa”. “Por não conseguir dar aulas devido a uma enxaqueca crônica, voltei minha paixão pelos alunos e dediquei isso ao preparo da merenda. Era quase impossível não participar do processo de preparo dos alimentos dos alunos. A vontade de cozinhar não tem limite, e com esse concurso do FNDE eu vi que podia mostrar para o restante do país tudo o que temos de bom na nossa rede municipal”.

O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, informou que durante o Encontro Mundial das Cidades Criativas da Gastronomia, que vai ser realizado no período de 7 a 11 de novembro em Belém, as merendeiras irão participar demonstrando seus pratos. “Este evento já tem 15 países confirmado, para ele vêm chefs de cozinha de vários lugares do mundo e nossas merendeiras terão um estande das chefs de cozinha neste evento internacional, com um lugar especial para estas artistas da nossa cozinha que atendem às criancinhas da rede municipal no seu dia a dia”.

Por Karla Pereira

Mais Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *