Close

Encontro das Cidades Criativas leva convidados a conhecerem a ilha do Combu

Belém está sendo o foco da gastronomia do mundo, desde esta terça-feira, 7, quando teve início na capital paraense o Encontro Mundial das Cidades Criativas da Gastronomia da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), evento internacional que ocorre, pela primeira vez, no continente americano.

Realizada pela Prefeitura Municipal de Belém com apoio do Governo do Estado do Pará, a programação do Encontro segue até sábado, dia 11. Na manhã desta quarta-feira, 8, a comitiva da Unesco, chefs nacionais e internacionais e convidados fizeram um passeio turístico de barco pela baía do Guajará e rio Guamá, e também conheceram a produção ribeirinha de alimentos, na cadeia produtiva do cacau e do açaí na ilha e furo do Combu.

No barco, os convidados já puderam ter contato com a cultura paraense, por meio de música e danças típicas, além de provarem sucos e picolés de frutas regionais. Todos se mostraram encantados com tantas novidades.

A comitiva de visitantes e chefs é composta de pessoas da cidade de Macau, na China; Gaziantep, na Turquia; de Zahle, no Líbano; Shunde, na China; Tucson, nos EUA; Denia, na Espanha; de Chengdu, na China; de Jeonju, na Coreia do Sul; de Enseada, no México; de Krakow, na Polônia; de Popayan, na Colômbia; de Ostersun, na Suécia;  do estado do Arizona, nos EUA; além de uma comitiva de 12 representantes da cidade de Florianópolis, de Santa Catarina, e o jornalista e apresentador da Rede Globo, Zeca Camargo.

Para o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, com o Encontro, Belém passa a fazer um diálogo internacional na área da gastronomia. “Temos aqui representantes de vários países e de outros estados brasileiros para fazer uma visita a nossa cidade, participar de encontros e seminários, e conhecer um pouco da nossa natureza amazônica. É um momento de integração que se espraia para outros campos, mostrando a riqueza da nossa biodiversidade, o que coloca Belém como a porta da entrada da gastronomia mundial”, avaliou o prefeito.

Combu – Na chegada a um dos portos da ilha do Combu, o grupo foi recebido com danças e músicas das etnias indígenas Tembé, Kayapós e Xikrin. Os indígenas também exibiram o artesanato produzido nas aldeias, fizeram pinturas corporais e levaram os convidados a dançar junto com eles.

A índia Puyr, da etnia Tembé, do município de Santa Luzia, no nordeste do Estado, deu as boas-vindas a todos falando em português. “Estamos muito felizes de poder mostrar um pouco da nossa cultura, do cotidiano e da diversidade de nossos povos, mas não podemos esquecer que a região amazônica ainda é muito visada e que precisamos da ajuda de todos para que ela seja preservada”, alertou a indígena.

O chef de cozinha Brian Smith, do estado do Arizona, nos EUA, se mostrava surpreso a cada momento do passeio. “É a primeira vez que venho ao Brasil e à Amazônia, e tudo é muito bonito e grandioso. Estou esperando o momento em que terei contato com os temperos e ingredientes da culinária paraense, os quais só conheço de livros e revistas”, contou o Brian.

Os integrantes da comitiva interagiram com os indígenas de uma forma muito ativa. Uma dessas pessoas foi Marília Hafermamm, membro do Grupo Gestor das Cidades Criativas da Gastronomia da Unesco de Florianópolis, título recebido pela capital catarinense em 2014. Marilia se encantou com um dos bebês indígenas. “É importante e maravilhoso estarmos juntos neste intercâmbio entre Belém e Florianópolis. Acabamos também por fazer uma reflexão com o discurso da indígena, o que nos leva a pensar em preservação das etnias e da floresta, e isso é de suma importância”, enfatizou Marília.

O grupo ao qual Marília faz parte é formado por comerciários e professores de escolas de gastronomia de Santa Catarina. Também veio junto a chef Sádia Oliveira, vencedora do concurso de culinária da Festa Nacional da Ostra (Fenaostra) do ano passado, que ganhou como um dos prêmios a viagem ao Encontro das Cidades Criativas da Gastronomia em Belém. “Fiz um prato de ostra com molho de tucupi, o que surpreendeu o júri, porque eles não conheciam esse produto paraense. E deu muito certo”, contou a chef.

Cacau – O passeio prosseguiu com uma visita ao projeto de Nena Costa, a dona Nena, que trabalha com o manejo sustentável do cacau e do açaí. Os visitantes fizeram uma trilha pela mata onde conheceram diversos aspectos do cultivo dessas frutas. Eles puderam também acompanhar com um dos ribeirinhos o processo de tirar o cacho de açaí da palmeira, utilizando uma peconha.

Dona Nena explicou que o cacau da propriedade dela é nativo e que é uma plantação muito antiga. O trabalho dela é feito há mais de 16 anos e tem ajuda de oito pessoas da comunidade do Combu no trabalho de colheita e processamento do cacau em chocolate, licores e doces, como o brigadeiro. “Procuramos sempre valorizar a nossa biodiversidade. Nosso foco é a qualidade e não quantidade, num processo bem artesanal. Nosso trabalho é o manejo sustentável do açaí e cacau, que são nativos, e o cultivo do cupuaçu, banana e pupunha, de forma consorciada com as plantações nativas e antigas”, explicou dona Nena.

O grupo também conheceu como o cacau é moído e se transforma numa pasta que é 100% cacau puro. Depois, essa pasta é transformada numa barra, que é envolta em folha da árvore do cacau e amarrada com uma tira da folha do açaí. Todos ficaram muito encantados com o processo, que é bastante simples.

O final do passeio foi com um almoço, à base de produtos típicos do Pará, como camarão, caranguejo e filhote, no restaurante Casa Combu.

Programação – O Encontro Mundial das Cidades Criativas da Gastronomia da Unesco, em Belém, prossegue nesta quinta-feira, 9, no Polo Joalheiro, pela manhã, com workshop “O que a biodiversidade oferece para gastronomia e o que a gastronomia pode fazer para a biodiversidade?”; e à tarde, quando haverá um dos momentos altos da programação com o “Desafio ao vivo de chefs – Cooking Show”, que reunirá chefs internacionais da comitiva da Unesco a chefs paraenses e outros convidados do Brasil. Os chefs visitantes terão que cozinhar usando ingredientes típicos do Pará e de outras regiões do mundo, criando, ao vivo, pratos inusitados e inéditos.

O público pode acompanhar esses dois momentos, com acesso gratuito, basta se inscrever no site https://www.sympla.com.br/encontro-mundial-das-cidades-criativas-da-gastronomia__209906

 

Por Dedé Mesquita

Mais Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *