Close

Cerimônia marca abertura oficial do Encontro das Cidades Criativas da Gastronomia em Belém

O Palácio Antônio Lemos, sede da Prefeitura de Belém, foi palco de um dos maiores eventos de gastronomia já realizados na cidade, com a abertura na noite desta terça-feira, 7, do Encontro Mundial das Cidades Criativas da Gastronomia da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), evento internacional que pela primeira vez é realizado no continente americano.

Centenas de pessoas entre autoridades e convidados, inclusive de outros países, participaram da abertura oficial do evento que teve as apresentações musicais de Dona Onete e Lucinha Bastos e da Banda da Guarda Municipal de Belém, entre outros. O Encontro segue até o próximo sábado, 11, e conta com a participação de 16 representantes da Unesco vindos da China, Líbano, Colômbia, Estados Unidos, Suécia, México, Coréia do Sul, Irã, Itália, Espanha e Colômbia, além de quinze chefs convidados, entre brasileiros e estrangeiros.

O Encontro das Cidades Criativas em Belém consagra dois anos de esforços da Prefeitura de Belém e Governo do Estado, que se iniciaram em 2015, quando a capital paraense conquistou o título de Cidade Criativa da Gastronomia, selo que somente 17 cidades do mundo possuem. Para o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, este é o momento de oportunidades. “Temos a presença de outras cidades eleitas criativas pela Unesco para interagirem com Belém, conhecerem a nossa Amazônia e certamente difundirem tudo aquilo que irão ver da gastronomia da nossa cidade, das nossas beleza naturais”, avaliou.

De acordo com Zenaldo, Belém recebe dezenas de pessoas, entre elas formadores de opinião que irão ajudar a difundir a gastronomia e as peculiaridades da cultura local. “A grande mídia nacional e internacional estará também recebendo informações não só daqueles que vieram, mas da própria rede da Unesco, que tem uma grande capilaridade no mundo. Portanto, Belém passa a se projetar também com algo diferenciado, que é a gastronomia como ferramenta de preservação da floresta. Acho que essa é uma das grandes mensagens que o encontro na Amazônia também traduz”.

O governador do Estado, Simão Jatene, ressaltou em seu discurso a importância de aprender a preservar a Amazônia, além de produzir. “Este evento tem vários significados, tem todo o significado gastronômico, mas tem também a compreensão clara de que na Amazônia existem cidades importantes, e ter a compreensão clara de que você pode ter na cadeia produtiva, na gastronomia que garanta enfrentar o grande desafio de produzir e preservar. Além disso, a gastronomia nesse momento é o fio que costura a nossa cultura, vamos ter a oportunidade de diversos países, todos olhando as nossas características e tentando dar universalidade a isso. Está de parabéns Belém e o Estado”, enfatizou.

Destaque – Apenas cinco cidades realizaram o Encontro da Unesco: Gaziantep, Turquia (fevereiro de 2016), Phuket, Tailândia (abril de 2017), Parma, Itália (maio de 2017), Bergen, Noruega (agosto de 2017), Dénia, Espanha (setembro de 2017). Belém é a sexta cidade do mundo a sediar o evento.

A oficial de Projetos do Setor de Cultura da Unesco no Brasil, Isabel de Paula, destacou durante o evento que a economia criativa é um dos setores que mais cresce no mundo, e Belém fazer parte desta rede de Cidades Criativas da Unesco fará com que a cidade implante um plano de desenvolvimento para permitir a ampliação da cadeia da gastronomia. “Isto vai gerar emprego, renda e novas oportunidades de desenvolvimento para a região. E este evento não é só algo voltado para a gastronomia, as pessoas vão também ter a oportunidade de conhecer um pouco mais da riqueza cultural da Amazônia, das manifestações artísticas e culturais presentes em Belém, então vai ser um mergulho nessa Amazônia que o mundo inteiro quer vir para conhecer”.

Para a representante do Sul da China, Fang Li, estar em Belém está sendo uma experiência indescritível. “Este lugar é fantástico, tem uma cultura rica e diferente. Tudo é muito peculiar e interessante, não somente a culinária, mas as pessoas, as músicas, a forma calorosa e harmônica com que nos recebem”, elogiou a integrante da Unesco.

Festa – O Palácio Antônio Lemos ficou tomado nesta noite de terça-feira pelas cores, músicas e sabores de uma festa preparada especialmente para difundir a capital paraense. Com uma estrutura montada em uma das áreas ao ar livre do palácio, um lounge acomodou os convidados e um palco para as apresentações que foram regadas a muito carimbo animou os presentes. Os chefs de cozinha deram um tempero a mais ao evento, oferecendo a degustação de comidas à base de ingredientes típicos da região.

“Cada um de nós trouxe algo especial para este encontro, que está sendo fantástico. Imaginar que podemos mostrar ao mundo um pouco daquilo que o nosso Estado e a nossa Amazônia nos proporcionam é gratificante. São pessoas de vários lugares do mundo degustando daquilo que há de melhor, assim como o doce que eu preparei especialmente para o Encontro Mundial das Cidades Criativas, à base de leite e semente de cumaru”, disse Eliete Santos, chef de cozinha.

O segundo semestre deste ano foi regado a eventos voltados para a difusão da cultura, da gastronomia e dos costumes da região. A arquiteta Débora Leite Rodrigues, que participou da primeira edição do Belém Design Zones (BDZ) em setembro, evento em formato de festival urbano que teve como propósito promover e criar conexões entre arte, arquitetura, mercado, inclusão social, cultural local, gastronomia e design em espaços que cobrem toda a cidade de Belém, se disse encantada com a junção de características típicas do Estado para a construção do Encontro Mundial. “Nós paraenses já somos um povo apaixonado pela nossa terra, e esse reconhecimento de ver as pessoas chegando com tudo bonito e degustando a culinária paraense nos deixa ainda mais feliz. Belém está se mostrando, está se deixando aparecer, isso é incrível”, comemorou a arquiteta.

Programação – O Encontro das Cidades Criativas da Gastronomia terá uma programação diversificada, aberta ao público em alguns momentos. Nesta quarta-feira, 8, a comitiva da Unesco segue para a ilha do Combu, para conhecer a produção ribeirinha de alimentos, a pluralidade de cheiros e sabores do Ver-o-Peso, a cultura indígena e a riqueza musical do Pará. Acompanhe a programação por meio do site http://creativecity.belem.pa.gov.br.

Por Karla Pereira

Mais Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *